Resumo novela “Cordel Encantado” 12/02 : no capítulo 021(*) da novela, resumo de terça-feira, 12 de fevereiro, Batoré é avisado sobre o sumiço de Penélope. Herculano continua o treinamento com Cícero. Miguézim afirma que Açucena precisa de proteção contra Timóteo. Úrsula e Nicolau lembram-se do que fizeram com o duque e se divertem. Petrus se esconde na sala de projeção. Florinda vai ao cinema com Rosa. Dora e Felipe decidem sair para cavalgar. Açucena conversa com Augusto e pede que ele a compreenda. Felipe cai do cavalo. Farid se apavora ao saber que Penélope está com os cangaceiros. Timóteo expulsa Amália de sua fazenda por ela ter ajudado Miguézim e provoca a ira de Jesuíno.

Miguézim acalma Jesuíno e lembra que ele precisa de um exército para derrotar Timóteo. Florinda esquece seu xale na sala de projeção e Petrus fica com ele. Farid sai apressado com Filó e inventa uma desculpa para Bartira, deixando Salim desconfiado. Timóteo nomeia Tibungo seu administrador e avisa que as leis na fazenda irão mudar.

Jesuíno convence os empregados da fazenda a se unir a ele contra o novo coronel. Miguézim fica perturbado por não conseguir ver o rosto do rei que irá salvar o sertão. Inácio consegue falar com Antônia. Farid pergunta a Batoré sobre as buscas a Penélope. Neusa compra ervas para engravidar. Herculano manda Cícero caçar comida para o bando.

(*) edição da Rede Globo, Novela “Cordel Encantado”, sujeito a alteração de data e conteúdo.

Sinopse “Cordel Encantado”: Vendo o marido muito ferido, depois de mais uma terrível batalha, a rainha Helena (Mariana Lima) vai ao castelo inimigo amaldiçoar toda a família do rei Augusto. Faz isso grávida de Inácio (Maurício Destri) e acompanhada de seu filho mais velho, Felipe (Jayme Matarazzo). O monarca se comove com a dor de Helena e, por sugestão de Cristina, propõe um acordo a Teobaldo, ferido mortalmente: seus primogênitos Aurora e Felipe devem se casar quando atingirem a maior idade, unificando e trazendo paz aos dois estados. Teobaldo aceita o acordo e morre logo depois. As duas crianças são apresentadas publicamente como os futuros reis de Seráfia.

Seguindo a interpretação onírica feita por Amadeus, uma longa viagem começa a ser planejada. Zenóbio Alfredo (Guilherme Fontes), botânico de Seráfia do Norte, que estava no Brasil envolvido com pesquisas científicas, traz ao rei notícias de um tesouro, escondido em terras tropicais pelo fundador do reino, Dom Serafim. O botânico sugere que o rei financie uma expedição a Brogodó, e Augusto, amante das ciências e das aventuras, não só concorda com a ideia como faz questão de liderar a empreitada. O rei só não contava que sua esposa, a rainha Cristina, resolveria acompanhá-lo, levando consigo a pequena Aurora.