Novela “Caminhos do Coração” resumo 25/03: no capitulo 006 (*) da novela, segunda-feira, 25 de março, Célia ouve os gritos de Maria, entra no quarto e vê Dr. Sócrates morto. Célia chama Batista, que pede para ela não tocar em nada no quarto. Batista chama a polícia. Maria fica desesperada ao perceber que pode levar a culpa pela morte do Dr. Sócrates. Mendigo denuncia a Ernesto que foi atacado por um filhote de lobisomem. Dino conta a Taveira que Dr. Sócrates foi encontrado morto na mansão e eles saem para fazer a ocorrência. Altina arde em febre e chama por Vavá. Pachola e Vavá se encontram e Pachola mente a Vavá que a mãe dele está morta. No enterro de Mabel, Tatiana chora e vasos de flores se quebram. Eric instrui Ramon sobre como ele fará os crimes em Miami.

Maria chora e jura à polícia que é inocente. Irma confirma a Platão que Sócrates morreu. Taveira algema Maria e a leva para a delegacia. Irma, Platão e Ari comentam que gostariam de saber quem foi o mandante do crime. Dra. Júlia avisa a Amália que assumirá as empresas, já que é a vice-presidente do grupo. Angela conta a Guiga que a professora quase descobriu suas asas. Rosana conta a Teófilo que descobriu que outras crianças especiais nasceram na mesma clínica que Aquiles e Ágata. Pepe diz a Ana Luz que Maria foi presa e eles vão para a delegacia. Gúdi diz a Marisa que vai fazer de tudo para ajudar Maria. Taveira chega à conclusão de que Maria é a autora do crime e ele a questiona porque cometeu o assassinato.

(*) edição da Rede Record, Novela “Caminhos do Coração”, sujeito a alteração de data e conteúdo.

“Caminhos do Coração” – A trama central envolve a personagem Maria (Bianca Rinaldi), acrobata do Circo Don Pepe. Logo no início da história, a doce e simples artista circense se vê como a principal suspeita de matar o milionário Dr. Sócrates Mayer (Walmor Chagas), dono da Progênese, uma das maiores redes de hospitais, clínicas e laboratórios do Brasil. Há uma armação para que ela seja acusada do crime e Maria cai na armadilha sem entender as razões de estar sendo implicada no assassinato.