Novela “Belíssima”: Mônica se separa de Alberto, investiga e descobre toda a armação feita para destruir o casamento dela com Cemil. Monica visita Cemil para se desculpar. Ele pergunta o motivo do pedido de perdão e ela explica: “Porque eu falei com a dona Mary e com o Alberto… Foi tudo armado mesmo, você sempre teve razão”. Cemil se mostra contente, diz que entende o que ela sentiu na época e pergunta se ela e Alberto realmente se separaram. Diante da confirmação, ele comenta que vai tomar um chope com amigos e a convida para ir junto. Mônica recusa, mas quase beija Cemil na hora da despedida. Cena prevista para dezembro na Novela “Belíssima”.

Novela “Belíssima”: Bia assume que mandou matar Vitória e voltou da Suíça por Sabina
Novela “Belíssima”: Cyro beija Giovana e discute com Érica
Novela “Belíssima”: Narciso pede perdão a Taís
Novela “Belíssima”: Pascoal vê beijo do novo delegado em Vitória
Novela “Belíssima”: Mônica resolve investigar André e busca apoio de Cemil
Novela “Belíssima”: delegado Gilberto chega para desvendar os crimes de André e Bia
Novela “Belíssima”: Bia usou Valdete para forjar a própria morte
Novela “Belíssima”: Vitória é a filha de Bia com Murat

Simpática, bem-sucedida e discreta, Júlia Assumpção é presidente da Belíssima, referência mundial no setor de roupas íntimas. Sua avó, Bia Falcão, a pressiona para se tornar parecida com a mãe, Stella Assumpção – que foi uma modelo bastante famosa, mito de beleza na década de 1960. Fundadora da marca Belíssima, Stella morreu em um acidente de avião junto com seu marido, deixando órfãos Júlia e Pedro. Desde então, Bia Falcão se tornou responsável pelos dois, tendo-os criado. Até hoje tenta controlar a vida deles. Em casa, Júlia só encontra apoio no tio, Argemiro Falcão, vulgo Gigi, e na governanta, Matilde. Bia faz de tudo para Júlia se sentir culpada pela morte dos pais.

A vilã fará de tudo para acabar com os romances de Pedro com Vitória, uma ex- menina de rua que ele escolheu para ser sua esposa, com quem tem uma filha, e Vitória será perseguida pela vilã durante toda a trama, porém, sem perder a fibra e a coragem; e de Júlia com André Santana. Este, apesar de não parecer inicialmente, é um grande e terrível vilão, diabólico e ambicioso, que almeja ser dono da Belíssima em conjunto com seu pai, Aquilino Santana, o seu Quiqui, que aparenta ser um bom velhinho, mas é, na verdade, um bandido da pior espécie, ex-matador de aluguel. André vai se envolver com Júlia e com a filha de Júlia, Érica, uma mulher fútil e perversa como a bisavó Bia Falcão. Érica é aspirante a modelo.