Com a idade, cachorros podem apresentar problemas articulares

A velhice é a fase em que os cães requerem mais atenção por parte do dono, que precisa estar atento para que qualquer sintoma seja diagnosticado ainda no início. Entre os problemas de saúde mais comuns da idade avançada estão às inflamações nas articulações, como as artrites e artroses.

Nos cães, as manifestações da artrite e artrose apresentam sintomas como dor local, crepitação, manqueira e tremores dos membros. O cão também pode apresentar restrições físicas como dificuldade para se locomover, para subir e pular, além de sensibilidade ao contato na região afetada.

A veterinária Isabella Vincoletto, da Vetnil, afirma que cães obesos estão mais propensos a desenvolver artrite do que cães em forma. “A raça do cachorro pode influenciar no aparecimento das doenças articulares”. Segundo a médica, algumas raças como, rottweiler, pastores alemães e labradores têm pré-disposição genética para desenvolver um problema articular.
Vincoletto destaca que hoje existem no mercado tratamentos para a doença muito parecidos aos usados pelos humanos. “O uso de produtos orais, formulados com sulfato de condroitina A e seus precursores, como a glucosamina, são de extrema importância para resultados satisfatórios na prevenção e no tratamento das enfermidades osteoarticulares. O Condroton, medicamento da Vetnil é recomendado para uma condro-reparação (regeneração dos elementos perdidos durante os processos de desgastes) e uma condro-proteção (proteção dos compostos formados e/ou existentes na articulação) da articulação lesada”.

Para qualquer dono de animal de estimação é difícil pensar na velhice quando adquirimos um cão ainda filhote. Percebemos seu crescimento e o começo da vida adulta, mas muitas vezes não nos damos conta de que os animais também ficam velhos. Esse processo de envelhecimento canino requer cuidados redobrados por parte do dono, já que os animais estarão mais suscetíveis às doenças.

“O cão idoso que apresente qualquer quadro ou sintomatologia articular, não deve ser exposto às variações de temperatura e superfícies lisas. Esses descuidos e uma dieta irregular são as causas principais do aparecimento de doenças que comprometem as articulações”, esclarece Vincolleto.

De acordo com a Associação Cinológica do Brasil, a longevidade dos cães varia conforme o porte da raça, sendo a expectativa média de um cachorro de pequeno e médio porte de cerca de 12 anos e dos cães grandes ou gigantes mais curta. Essa idade, entretanto, não é uma regra. Os cuidados recebidos desde a infância são determinantes da expectativa de vida dos animais. Por isso, ao adquirir um cão filhote, é bom ter em mente que o animal também vai envelhecer e requerer cuidados geriátricos para viver mais. Estar disposto a ter esse amigo fiel significará cuidar dele quando ele mais precisar, na velhice. Diante dessa certeza, caso o animal apresente algum comportamento não usual, dor ou sintoma articular, o melhor a fazer é consultar um veterinário para exames mais detalhados.