Colágeno – forte aliado no combate aos efeitos do tempo

Sentir-se mais jovem diante do espelho é mais uma questão de saúde do que de vaidade ou estética. Quem afirma é a farmacêutica bioquímica e cosmetóloga, Joyce Rodrigues, que cita o colágeno como grande aliado para se preparar, desde cedo, contra os efeitos do tempo sobre o corpo: “Os produtos com colágeno podem ser utilizados já a partir dos 20 anos, pois hidratam e mantêm a aparência da pele saudável. Eles previnem o surgimento de rugas e o envelhecimento precoce, bem como o aparecimento de estrias e celulite”, afirma Joyce.

O consumo de colágeno representa uma alternativa mais saudável à corrida desenfreada por plásticas (em casos extremos, com mortes devido ao despreparo de clínicas) e por métodos de duvidosa eficácia. Por não ter contra-indicações, não é à toa o “boom” de produtos à base de colágeno, no mercado de cosméticos, e a “febre” de consumo do produto em pó por várias estrelas da tevê como Sabrina Sato, Letícia Spiller e Cláudia Ohana.

O colágeno é uma proteína produzida naturalmente pelo corpo humano (30% do total de proteínas que temos), porém, a partir dos 30 anos, há um decréscimo nessa produção. É ele que sustenta as células, deixando-as unidas. Na pele, a perda de colágeno é uma das principais causas do surgimento de rugas e envelhecimento em geral. Enquanto produto, é obtido da extração do colágeno natural do osso ou do couro de bois ou porcos, recebendo posterior hidrólise (quebra das moléculas por água), a fim de garantir a eficiência da absorção no intestino. Carne vermelha, leite e gelatina são alimentos ricos em colágeno, bem como aqueles que são à base de soja.

Mas Joyce vai além da definição das propriedades bioquímicas e benefícios físicos do colágeno. “Ele representa mais qualidade de vida na medida em que a boa aparência deve ser buscada como hábito e não como obsessão, pois se trata de ter mais saúde emocional, hoje e no futuro. Ao invés de um dia tentar ‘recuperar’ a juventude de uma hora para outra, é garantir, desde cedo, um organismo mais preparado aos impactos do tempo”, explica Joyce.

De acordo com a Food and Drugs Administration (FDA), o colágeno hidrolisado é considerado um alimento GRAS, ou seja, reconhecido como seguro à saúde humana. Por não apresentar gordura, colesterol ou contra-indicações, nutricionistas e dermatologistas acreditam que o consumo de um suplemento de colágeno deva ser indicado desde jovem, e que é essencial depois dos 50 anos. Além de prevenir reumatismo e osteoporose, também ajuda a formar massa muscular magra, a hidratar a pele e a fortalecer cabelos e unhas.

Para Joyce, o colágeno não deve ser rotulado como uma simples busca pela “fórmula da juventude”, mas seu consumo deve fazer parte de um projeto de vida. “O envelhecimento facial e as modificações da imagem corporal repercutem, para a própria pessoa, como algo que pode até impossibilitá-la de tocar sua vida e de manter sua auto-estima. Mas uma expressão física bem conservada e jovial faz com que ela se sinta valorizada e realizada, em todas as áreas”, finaliza a farmacêutica bioquímica e cosmetóloga, Joyce Rodrigues.