Exame de Polissonografia identifica grande parte dos distúrbios do sono

Ansiedade, stress, excesso de trabalho e dificuldades financeiras são problemas capazes de fazer qualquer pessoa perder o sono, mas quando dormir mal vira rotina e começa a prejudicar o desempenho profissional ou escolar é importante parar para investigar o que pode estar acontecendo do ponto de vista médico.

O exame mais abrangente e capaz de diagnosticar grande parte dos distúrbios do sono é a Polissonografia. Segundo o otorrinolaringologista e responsável pelo laboratório do sono no Hospital Professor Edmundo Vasconcelos, Fernando Oto Balieiro, a Polissonografia é indicada, em geral, para pacientes com queixa de sonolência excessiva diurna, insônia, ronco e apneia do sono. “Esse é o exame que fornece mais informações para  o diagnóstico dos distúrbios do sono. É fundamental para o planejamento terapêutico”, diz.

De acordo com o especialista, a Polissonografia é um exame simples realizado no período noturno. O paciente dorme no laboratório com sensores fixados no corpo que permitem o registro das ondas cerebrais e outras variáveis fisiológicas que possibilita saber a qualidade do sono do indivíduo. A fixação é feita de tal forma que permite que o paciente se movimente durante o sono, sem interrompê-lo.

O exame consegue analisar o sono e suas variáveis fisiológicas por meio de registros da atividade elétrica cerebral, respiração, sinais de relaxamento muscular, movimentos oculares, oxigenação sanguínea, batimentos cardíacos entre outros.

Para o especialista é importante determinar que tipo de distúrbio do sono o paciente sofre e, assim, definir qual o tratamento ideal para cada caso. “Muitas vezes o tratamento para alguns distúrbios podem ser realizados apenas com a mudança de alguns hábitos que dificultam o sono”, conclui.

Recomendações para uma boa noite de sono:

1) Procure dormir a quantidade de horas que o seu corpo necessita. A média de um indivíduo adulto está entre 7 e 8 horas de sono diária;

2) Deite-se somente quando estiver sentindo sono ou cansado;


3) Evite café, chá, chocolate, coco, guaraná, nicotina e medicamentos com cafeína;


4) Evite bebida alcoólica no mínimo seis horas antes de dormir;


5) Evite ver TV no quarto;


7) Evite refeições pesadas antes de dormir;


8) Tenha horários regulares para dormir;


9) Faça exercícios físicos, de preferência ao ar livre, após se levantar.

O Hospital Professor Edmundo Vasconcelos, localizado em São Paulo, é um dos maiores complexos hospitalares do País, conta com cerca de 780 médicos e atua em 44 especialidades. Realiza anualmente cerca de 10 mil cirurgias, 12 mil internações, 200 mil consultas ambulatoriais e 110 mil atendimentos de Pronto-Socorro.